O pré-natal nada mais é do que um acompanhamento de saúde durante a gestação. É ofertado pelo SUS através dos postos de saúde, mas também, algumas clínicas particulares também oferecem o pré-natal. Possui um papel importantíssimo na prevenção e detecção precoce de doenças materno-infantil. Permitindo assim, um desenvolvimento saudável do bebê e diminuindo os riscos da mamãe.

Ele é de suma importância para esclarecer as dúvidas das futuras mamães e papais (sim, os papais podem participar também), identificar problemas logo no início tornando a solução/tratamento mais fácil, acompanhar o crescimento do baby dentro do útero, acompanhar o emocional dos pais durante a gestação e, prepara-los para o parto. Além é claro, da equipe de saúde envolvida no pré-natal, calcular a idade gestacional, altura uterina, classificar a gestação se é de baixo ou alto risco e informar a data provável de parto.

 

Quando que começa o pré-natal?

Para o SUS, o mínimo são 6 consultas no pré-natal, sendo elas, 1 no primeiro trimestre, 2 no segundo trimestre e 3 no terceiro trimestre da gestação.

O Ministério da Saúde recomenda que o pré-natal se inicie assim que a mulher descobre que está grávida. As consultas devem ser realizadas 1 vez por mês até a 28ª semana da gestação. A cada 15 dias entre a 28ª até a 36ª semana de gestação. E semanalmente após a 36ª semana de gestação.

 

Como é realizada a consulta de pré-natal?

Em toda consulta de pré-natal o profissional de saúde irá verificar:

  • Peso;
  • Pressão Arterial;
  • Inchaço nos pés e pernas;
  • Altura uterina;
  • Os batimentos cardíacos do bebê;
  • Observar as mamas;
  • Verificar as vacinas da mamãe e as medicações das quais ela está fazendo uso.

 

 (imagem retirada da internet)

Quais são as vantagens do pré-natal?

  • Ele possibilita que a equipe de saúde identifique doenças que a mamãe já tinha, mas que estava evoluindo de forma silenciosa. Algumas dessas doenças são: hipertensão arterial (pressão alta), doenças do coração, anemias, diabetes, entre outras. Lembrando que, o diagnóstico precoce dessas doenças permite um tratamento mais simples e evitam agravamentos para a mulher;
  • Permite a detecção precoce de problemas fetais. Alguns destes problemas, quando identificados em fases iniciais, permite o tratamento intrauterino proporcionando ao bebê uma vida normal;
  • Verifica aspectos da placenta. Se houver necessidade, possibilita o tratamento adequado. Como por exemplo, uma placenta com uma localização errada pode provocar graves hemorragias colocando em risco a vida do bebê e da mamãe;

 

Objetivos do pré-natal

  • Preparar a mamãe e o papai para a chegada do novo membro da família. Informando a família de maneira educativa sobre o parto e os cuidados da criança;
  • Orientações essenciais sobre hábitos de higiene e vida;
  • Orientações sobre a manutenção do estado nutricional;
  • Orientar sobre o uso de medicações que podem afetar o bebê e/ou parto;
  • Cuidar dos incômodos próprios da gravidez. Como por exemplo azia, fraqueza, dor abdominal, cólica, corrimento vaginal, sangramento das gengivas, dor nas costas, varizes, cãibras e trabalho durante a gravidez, esclarecendo todas as dúvidas da gestante e oferecendo as soluções necessárias;
  • Se a mamãe estiver com alguma doença, tratar esta doença de forma que não prejudique o andamento da gestação;
  • Preparar psicologicamente a mamãe e o papai para o enfrentamento da maternidade;
  • Orientações sobre à dieta, higiene, sono, hábito intestinal, exercícios, vestuário, recreação, sexualidade, hábitos de fumo, álcool, drogas e outras eventuais orientações que se façam necessárias.

Além disso tudo, o pré-natal é o primeiro passo para o parto e nascimento humanizado. Pressupões uma relação de respeito entre os profissionais de saúde com a mamãe e o papai durante o processo de parto. Compreende:

  • O parto como um processo natural que, quando bem conduzido, não precisa de condutas intervencionistas;
  • Respeito as emoções, sentimentos, necessidade e valores culturais de cada família;
  • Disposição dos profissionais de saúde para ajudar a família a diminuir a ansiedade, insegurança, medo do parto, da solidão, da dor, do ambiente hospitalar e outros temores;
  • Promoção do bem-estar físico e emocional ao longo do processo da gestação, parto e nascimento;
  • Garantir o direito da mulher na escolha do local de nascimento e corresponsabilidade dos profissionais para garantir o acesso e a qualidade dos cuidados de saúde;
  • Promover a redução de parto prematuro e cesárias sem necessidade;
  • Reduzir o nascimento de crianças abaixo do peso (abaixo de 2,5Kg);
  • Evitar a transmissão de doenças da mãe para o bebê. Como por exemplo, HIV, sífilis e as hepatites.

 

Quais exames podem ser realizados no pré-natal?

Trouxemos nesta postagem os exames mais comuns que geralmente são solicitados em um pré-natal. Mas não é uma rega absoluta. Porque, cada gestante vai ter um perfil muito particular, o que pode acarretar em mais solicitações de exames ou menos, cabe ao médico avaliar a sua real necessidade.

  • Ultrassonografia;
  • Hemograma completo;
  • Proteinúria;
  • Dosagem de hemoglobina e hematócrito;
  • Exame de fezes;
  • Bacterioscopia do conteúdo vaginal;
  • Glicemia de jejum;
  • Exame para saber o tipo sanguíneo, sistema ABO e o fator Rh;
  • HIV: vírus da imunodeficiência humana;
  • Urina, para saber se está com infecção urinária.

Danielle Domingues chegou a elaborar uma tabelinha com os principais exames realizados de acordo com a semana gestacional em que se encontra.

(DOMINGUES, D. O que esperar do pré-natal?. Família Theia – Blog. Publicado em 12 de jun. de 2021. Disponível em < https://theia.com.br/o-que-esperar-do-pre-natal&gt;)
 

(imagem retirada da internet)

 

Conclusão

Apesar do pré-natal possuir suas diretrizes e suas regrinhas, ele tem que respeitar diversas variáveis, tais como, em qual momento a mulher descobriu que está grávida, o perfil que a gestante apresenta, os recursos que o médico tem disponível, entre outros. O que não permite que todo pré-natal seja igual para toda mulher. Mas nem por estes motivos que o pré-natal tem que ocorrer de forma desorganizada. Muito pelo contrário, independentemente das variáveis, o pré-natal tem que ocorrer de forma sistematizada e humanizada.

Separamos para você dois vídeos que complementam todas as informações que você leu nesta postagem aqui em nosso blog.

 

 

Gostou das nossas dicas? Curta nossa página no Facebook para estar por dentro das novidades. Acesse a Mega Loja do Bebê para aproveitar nossas ofertas e promoções.

 

Fontes:
BRASIL. Importância do pré-natal. Ministério da Saúde. Assistência pré-natal. Biblioteca Virtual em Saúde, jan. de 2016. Disponível em < https://bvsms.saude.gov.br/importancia-do-pre-natal/ >
SEDICIAS, S. Pré-natal: o que é, quando começar e exames necessários. Tua Saúde, jan. de 2021. Disponível em < https://www.tuasaude.com/pre-natal/ >
BRASIL. Pré-natal. Secretario do Estado de Saúde. Governo do Estado de Goiás. 22 de nov. de 2019. Disponível em < https://www.saude.go.gov.br/biblioteca/7637-pr%C3%A9-natal >
DOMINGUES, D. O que esperar do pré-natal?. Família Theia – Blog. Publicado em 12 de jun. de 2021. Disponível em < https://theia.com.br/o-que-esperar-do-pre-natal/ >

By

Deixe uma resposta