Você sabia que o uso de chupeta e bicos são maléficas para os bebês se usados de forma ininterrupta?! Independentemente da idade da criança, as chupetas trazem alterações anatômicas e fisiológicas no crescimento e desenvolvimento infantil. Alterações estas que podem afetar até a vida adulta do indivíduo.

Mas como pode? Um item utilizado por gerações, trazer malefícios? Talvez, você mesma que está lendo esta postagem fez o uso de bicos e chupetas, não é mesmo? Mas, nos dias de hoje, a informação está mais acessível para as pessoas. E nós, da Mega Loja do Bebê, trouxemos para você nesta postagem, informação científica, de fontes confiáveis e de forma simplificada para você! Para agregar de forma positiva no crescimento e desenvolvimento do seu baby.

 

Ao questionar qualquer profissional de saúde sobre o uso de chupeta, todos irão desaconselhar o seu uso. Entretanto, ela é um item que está presente no enxoval do bebê e, muitas vezes, ela é comprada antes mesmo do bebê nascer. A chupeta foi citada pela primeira vez na literatura médica no fim do século 15. Em nossa sociedade brasileira, é comum ofertar a chupeta ou o bico sempre quando a criança chora, porque, segundo as famílias, a chupeta acalma a criança.

Do ponto de vista prático, de fato a criança se acalma com a chupeta. Mas não é ela (chupeta) em si que acalma a criança, e sim, a ação de sugar. O recém-nascido mama porque tem fome, e conforme a fome é saciada, vem consigo a sensação de prazer. Quem não fica feliz com a barriguinha cheia não é mesmo?

 

Amamentação

Oferecer a chupeta para o seu bebê, pode confundi-lo na hora da amamentação, porque o bico de silicone é completamente diferente do mamilo da mamãe. E isto pode prejudicar o aleitamento materno. A criança pode mamar menos, rejeitar o seio da mãe, se inclinar para trás na hora da amamentação; e tudo isto pode deixar a mamãe confusa e frustrada, pensando que a sua criança está doente e não quer mamar. E pelo fato de mamar menos, isto contribui para uma alimentação insuficiente para o crescimento e desenvolvimento adequado da criança, acarretando em perda ou não ganho de peso déficit em seu crescimento. E ainda, alguns estudos apontam que isto pode acarretar em maus hábitos na vida adulta, como o tabagismo, mascar constantemente e incessantemente, bruxismo, entre outros.

Até os 6 meses de idade, a Organização Mundial de Saúde recomenda o aleitamento materno exclusivo e em livre demanda. Isto significa, que em vez da mamãe ofertar a chupeta como meio para acalmar a criança, é mais saudável, ofertar o peito. Inclusive, amamentar no momento em que a criança for submetida a um processo doloroso, como por exemplo, o teste do pezinho, coleta de sangue, entre outros. Ajuda a acalmar o bebê, e ainda, torna mais fácil e rápido tal procedimento.

(imagem retirada da internet)

 

Musculatura da boca

É comum também, a criança querer sugar para distração, neste caso, ao invés de ela receber uma chupeta, ela pode receber um chocalho. Outro fator importante, após os 6 meses, que é quando geralmente a criança começa a receber uma alimentação complementar, junto com o aleitamento materno. É interessante ofertar de vez em quando, um mordedor, afim de fortalecer toda a musculatura da boca.

O bom desenvolvimento da boca e da dentição depende do exercício que a criança faz para sugar o peito. Como sugar a chupeta utiliza músculos diferentes daqueles utilizados para mamar no peito, a falta de atividade dos músculos utilizados para mamar no peito pode levar a problemas na mastigação, na fala, no alinhamento dos dentes, na respiração, entre outros.

(imagem retirada da internet)

 

Dentição

O uso da chupeta ou bico, pode afetar toda a estrutura óssea da boca, modificando de forma ineficaz a ordem dos dentes na boca, prejudicando a mastigação, fala, respiração, deglutição e toda a funcionalidade da boca. Isto ocorre porque com a alteração anatômica, se altera toda a fisiologia da boca da criança. Acarretando em problemas futuros, implicando em uso de aparelhos odontológicos na adolescência, e em alguns casos, a necessidade de procedimentos cirúrgicos.

 

(imagem retirada da internet)

 

E não é só a boca que fica prejudicada. O uso prologado de chupeta e bicos artificiais, podem alterar até mesmo a respiração e a postura da criança quando mais crescida. Isto ocorre porque a criança acaba desenvolvendo o mal hábito de respirar pela boca. Desta forma, acarreta em alterações no tronco, prejudicando a respiração e a locomoção da criança.

(imagem retirada da internet)

 

Candidíase oral, popular sapinho

A chupeta pode conter fungos e bactérias que causam doenças. Aftas e candidíase oral, conhecida popularmente como “sapinho”, por exemplo, são muito comuns em crianças que usam chupeta. Outras doenças que são muito comuns em crianças que usam chupeta são: respiração ruidosa, vômitos, febre, diarreia, cólicas. Por isso, o uso de chupetas aumenta o risco de uma criança ficar doente e ser hospitalizada.

(imagem retirada da internet)

 

O que fazer em situações de choro?

Para cada família e cada bebê o conjunto de estratégias utilizadas será diferente. Por isso, é tão importante que os pais/cuidadores conversem entre si e definam estratégias para lidar com situações de estresse. Alguns exemplos de estratégias para acalmar bebês e manejar o seu choro são: oferecer o peito sempre que o bebê apresentar sinais de fome (ou seja, quando o bebê chora, abre a boquinha, mexendo a cabeça para um lado e para o outro procurando o peito), pegar o bebê no colo, segurando-o firmemente e o aconchegando, cantar para ele, praticar contato pele a pele, banhá-lo, usar o ofurô, ofertar estímulos, como mordedores, chocalhos ou outras brincadeiras que chamem a atenção da criança e lhe forneçam conforto e carinho. 

(imagem retirada da internet)

 

Quando que a chupeta é utilizada de forma eficaz?

Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, estimular o desenvolvimento da sucção em bebês prematuros que estão hospitalizados favorece o ganho de peso e reduz o seu tempo de internação. Ou seja, em casos muito específicos, em um ambiente muito específico, a chupeta pode sim, trazer seus benefícios. Mas não é o que ocorre na maioria dos casos.

Se a opção for por oferecer chupeta à criança, recomenda-se que o seu uso seja limitado até 1 ano de idade e sua introdução deve ocorrer após a amamentação estar estabelecida, ou seja, com o bebê mamando bem, ganhando peso por mais de duas semanas e a mãe sem fissuras ou dores no momento de amamentar. Para aqueles que optarem por oferecer a chupeta, uma opção é restringir o seu uso em momentos críticos e, uma vez estabelecido o hábito de usar a chupeta, procurar suporte profissional para a retirada, se este for o desejo. Por fim, é importante ressaltar que o uso de chupeta por crianças que já adquiriram a fala, muitas vezes em idades avançadas como 7, 8 e até mesmo 10 anos, é um sinal de alerta. Os pais precisam refletir sobre o que se passa emocionalmente com elas e qual a função psíquica da chupeta na vida dessas crianças. Cientes do motivo, poderão oferecer a elas uma conduta afetiva que possa ajudá-las na elaboração do problema e, assim, a chupeta poderá ser abandonada.

 

Opinião multidisciplinar

Psicologia

Sugar no peito da mamãe demanda força e satisfaz a fome, e também, a vontade se sugar. Porém, quando o bebê mama na mamadeira, satisfaz a fome, mas não a necessidade de sucção. Isto ocorre porque o bico de silicone da mamadeira, junto com a facilidade que a mamadeira oferece em ofertar leite, a criança não precisa fazer força para mamar. Não desenvolvendo a musculatura da boca e dificultando, em alguns casos, inibindo completamente a vontade de mamar no peito.

Além disso, sugar é uma ação a ser repetida na medida em que reduz a angústia. A repetição de um determinado comportamento torna-o inconsciente e se torna um hábito.

Fonoaudiologia

Os bebês que são alimentados por mamadeiras estão mais sujeitos a necessitarem de chupeta. Entretanto, a chupeta pode ser usada para levar estabilidade emocional para o bebê, mas, deve ser usada de forma racional. Pois os malefícios dela está diretamente relacionado ao tempo em que a criança fica com a chupeta na boca, o número de vezes em que há esta necessidade e a duração de cada sucção. Os efeitos nocivos do uso da chupeta podem gerar uma má oclusão dentária, má postura da língua e problemas articulatórios. Além de possui efeitos negativos na fala, limitação do balbucio, impede que o bebê imite os sons que ouve, prejudica a emissão de palavras, leva a uma vocalização distorcida, alteração nos movimentos da língua e da musculatura da boca, dificulta a mastigação e a deglutição.

Infectologia

A chupeta se mostra como um fator de risco para as otites (infecção/inflamação do ouvido). Isto ocorre porque o uso de chupeta altera a deglutição de saliva, e pode ser um risco para o acúmulo de líquido nos canais internos, favorecendo o surgimento das otites. A sua recorrência pode acarretar em atrasos ou problemas no desenvolvimento da fala da criança.

Pediatria

Os bebês que fazem uso de chupetas e bicos tendem a colocar a língua na posição errada na hora de sugar o seio da mamãe, não conseguindo assim, retirar o leite, choram de fome, rejeitam a mama da mãe e favorece o desmame precoce. As crianças que fazem uso de chupeta, a criança pede menos peito, e com a baixa oferta do seio da mãe, acaba reduzindo a produção de leite.

Odontologia

A chupeta pode gerar e/ou agravar uma má oclusão dentária porque ela altera a musculatura da boca, gerando a popular mordida aberta, diminui a abertura do céu da boca, desgasta mais rapidamente os dentes caninos e diminui as atividades dos dentes molares, podendo gerar também a mordida cruzada. Ainda há estudos que apontam que o uso de chupetas contribui para a formação de cáries.

Existe hoje as chupetas ortodôntica, porém, com o passar dos anos, estudos mostraram que este tipo de chupeta gera efeitos maléficos tanto quanto as chupetas e bicos tradicionais. Alguns estudos ainda apontam que a chupeta ortodôntica é mais nociva do que a chupeta tradicional. Fato é, sendo chupeta ortodôntica ou tradicional, ambas trazem malefícios se usada de forma inadequada.

(imagem retirada da internet)

Separamos para você mais três vídeos para te ajudar a decidir sobre ofertar ou não a chupeta e ajudar a esclarecer este assunto tão debatido na internet. 

 

 

 

 

Gostou das nossas dicas? Curta nossa página no Facebook para estar por dentro das novidades. Acesse a Mega Loja do Bebê para aproveitar nossas ofertas e promoções.

 

Fontes:
CASTILHO, SD; ROCHA, MAM. Uso de chupeta: história e visão multidisciplinar. Jornal de Pediatria – Vol. 85, Nº 6, 2009. Disponível em < https://www.scielo.br/j/jped/a/kb9GKFQbdP6d3VCfJHHwbXp/?format=pdf&lang=pt >
SBP. Uso de chupeta: os prós e os contras. Departamento Científico de Aleitamento Materno. Sociedade Brasileira de Pediatria. Disponível em < https://www.sbp.com.br/especiais/pediatria-para-familias/cuidados-com-o-bebe/uso-de-chupeta-os-pros-e-os-contras/#:~:text=A%20chupeta%20pode%20conter%20fungos,%2C%20febre%2C%20diarreia%2C%20c%C3%B3licas. >
ARAÚJO, CMT; SILVA, GAP; COUTINHO, SB. Aleitamento materno e uso de chupeta: repercussões na alimentação e no desenvolvimento do sistema sensório motor oral. Revista Paulista de Pediatria. ISSN: 0103-0582. Sociedade de Pediatria de São Paulo. 27 de jan. 2007. Disponível em < https://www.redalyc.org/pdf/4060/406038920011.pdf >

By

Deixe uma resposta