Papinhas e sopas para bebês: 11 receitas nutritivas e saborosas!

O início da alimentação com sopas e papinhas para bebês é um divisor de águas tanto para os pais quanto para os filhos. Afinal, marca a transição da criança da amamentação para os alimentos sólidos, o crescimento da dentição e o despertar dos sentidos delas, como o olfato, a visão e o paladar, para os estímulos nos ambientes.

Por esse motivo, a preocupação com uma cardápio de alto valor nutricional na primeira infância que contribua para o desenvolvimento dos pequenos é constante para mães e pais.

Foi pensando nisso que preparamos este post especial para sanar todas suas dúvidas e questionamentos sobre o assunto e que, de quebra, conta com 11 receitas diversificadas e saborosas para você deixar as refeições do seu filho ainda mais saborosas. Acompanhe!

A alimentação na primeira infância

Conhecida como primeira infância, o período que que engloba desde o nascimento até os seis anos — quando a criança já está em fase escolar — é marcado por um crescimento intenso do corpo, tanto na estrutura óssea quanto muscular do seu filho.

Além disso, é quando o desenvolvimento sensorial se inicia e ocorre a primeira grande mudança nos hábitos alimentares do bebê: a substituição gradativa da amamentação por refeições com ingredientes sólidos.

Afinal, durante os primeiros seis meses é estritamente recomendado, inclusive pela Organização Mundial da Saúde, que apenas o leite materno seja oferecido ao recém-nascido, pois ele contém todos os nutrientes necessários para a saúde e o bem-estar do pequeno.

A partir desse período é possível continuar com o aleitamento até os dois anos, caso você assim deseje, mas complementar a alimentação com líquidos, como água e sucos, e sopas e papinhas para bebês que, aos poucos, vão se transformar no cardápio da criança com diferentes receitas e composições.

Dessa forma, você já adapta as refeições diárias da criança com ingredientes saudáveis e bem selecionados para que, quando completar três anos, ela possa ter a alimentação similar a sua e dos demais adultos.

Os primeiros alimentos sólidos

Como dito há pouco, a partir do sexto mês de vida é possível introduzir pequenas refeições ao longo da rotina da criança com alimentos sólidos como complemento à amamentação — que não deve ser retirada por completo antes da total adaptação do bebê ao novo cardápio diário.

Esse período de transição é fundamental para ajudar a desenvolver o paladar do seu filho e criar hábitos alimentares saudáveis ainda na primeira infância que vão reverberar por toda a vida dele.

Justamente por isso as papinhas, sejam elas doces — por conta da frutose presente nas frutas — ou salgadas — pela diversidade de composições com legumes, verduras e afins —, terão um papel fundamental ao facilitar a experimentação de alimentos com alto teor nutricional.

Afinal, ela ocorre por meio de uma deglutição simplificada para o menor, já que a consistência delas é similar a de um purê e não necessita mastigação.

Outro ponto importante é nunca usar temperos ou mesmo sal para dar um “gosto a mais” à comida. Por mais que sejam frequentes nos pratos dos adultos, eles devem ser evitados para não mascarar o gosto dos ingredientes ou provocar indisposições gastrointestinais.

Além disso, ao decidir introduzir um novo alimento ao qual o bebê não tenha consumido anteriormente não misture-o com outros na papinha.

Ofereça-o só para averiguar se a criança apresenta alguma indício de reação alérgica ou mesmo intolerância. Em caso positivo, não deixe de realizar um acompanhamento com um médico pediatra para avaliar possíveis tratamentos e dietas exclusivas para o seu filho.

A seguir elencamos alguns dos principais ingredientes para fazer papinhas para bebês que sejam nutritivas, saborosas e bastante diversas para a alimentação do pequeno.

Frutas

As frutas, como pera, maçã, banana e laranja, costumam ser os primeiros alimentos sólidos das papinhas para bebês por aliar uma consistência pastosa, sabor adocicado e por também serem ingeridas em forma de suco — o que proporciona hidratação em dobro para os pequenos.

Mas não só isso, já que elas têm poucas calorias e são fonte de diversos nutrientes, como ácido fólico, vitamina C, fibras e potássio, que melhoram os sistema imunológico e intestinal das crianças.

Verduras e legumes

Tão frequente quanto as frutas nas papinhas, estão as verduras e os legumes. Afinal, o consumo de ambos deve ser incentivado ainda na primeira infância quando o seu filho está desenvolvendo o paladar.

Dessa forma, ele não os rejeitará quando estiver na fase pré-escolar por conta do sabor ou aroma, o que pode deixar as refeições com baixo teor nutricional.

Entre alguns exemplos estão o espinafre, o agrião, a soja, a cenoura, a beterraba, a lentilha e o repolho, que são fontes de em betacaroteno, luteína, cálcio, ferro, fibras, cobre e vitaminas A, B2, B9, B12, C, E e K que intensificam o desenvolvimento ocular, evitam problemas cardiovasculares e anemia e proporcionam um funcionamento do trato digestivo.

Tubérculos

Já os tubérculos, por sua vez, são bastante utilizados em papinhas salgadas que sejam fontes de betacaroteno, potássio, zeaxantina, niacina e vitaminas A, B3, C e K. Entre os mais comuns como ingredientes estão o inhame, a batata, a mandioca, o nabo e o rabanete.

Quando introduzidos no cardápio do bebê ajudam a regular o intestino dele, a hidratar o tecido da pele e das mucosas — que são áreas frágeis e sensíveis, especialmente em dias secos — e ainda auxilia no crescimento e fortalecimento da dentição.

Cereais

Por fim, mas não menos importante, outro ingrediente que costumam figurar com frequência nas papinhas para bebês são os cereais, como o arroz e a aveia. O motivo disso está que por terem textura macia costumam ser o passo inicial para a alimentação com sopas nas quais pedaços dos alimentos se tornam mais frequentes.

Além disso, são ricos em fibras, proteínas, vitaminas B e E, magnésio, ferro, zinco e fósforo que atuam no organismo dos menores auxiliando o fortalecimento dos ossos, no desenvolvimento cerebral e cognitivo e na manutenção do metabolismo infantil.

Evolução da consistência da alimentação dos bebês

Ao introduzir alimentos sólidos na alimentação do bebê é comum que muitos pais tenham dúvidas sobre sopas e papinhas. Alguns, inclusive, costumam confundi-las e acreditar que são palavras diferentes para expressar a mesma coisa.

Contudo, é importante que você não cometa esse tipo de mal-entendido. Isso porque elas têm diferenças que vão muito além da grafia. A papinha, por exemplo, é a forma mais usual de permitir à criança a experimentação de novos sabores a partir do sexto mês de vida.

Mas, para isso, ela envolve um processo recorrente de amassar por completo o alimento, seja uma fruta, uma verdura ou um legume, até que o mesmo ganhe uma consistência pastosa de fácil deglutição — já que nesse período o pequeno ainda não terá a dentição completa.

Já a sopa, por sua vez, é a evolução natural da papinha. A razão disso é que esse tipo de preparo inicia uma nova etapa na alimentação da criança, pois tem a consistência fluída entre o líquido e o pastoso e a presença de pequenos pedaços de alimentos ou mesmo porções completas, como arroz, feijão e macarrão.

Substituindo, assim, a primeira opção gradativamente, em especial quando o seu filho completa um ano e possui alguns ou já todos os incisivos e os molares.

Afinal, mesmo que os alimentos no prato do bebê sejam de textura macia e fáceis de partir com qualquer talher, será fundamental o papel da dentição em cortar e triturar aquilo que ele mastiga e, assim, facilitar a ingestão de cada ingrediente.

Portanto, procure controlar a ansiedade e não pular etapas, apressando-se em passar do aleitamento direto para o consumo de sopas diárias, ignorando a função intermediária da papinha, especialmente se a criança ainda não possui os dentes.

Isso pode ter um efeito bastante perigoso na integridade física e no bem-estar do seu filho, já que ele terá mais dificuldade para consumir a comida que lhe é dada, correndo risco de engasgar ou ainda pior: sufocar enquanto enquanto faz as refeições.

Porém, adotando as papinhas e, em seguida, as sopas de acordo com cada período da primeira infância é possível ampliar as opções de cardápio do menor e deixá-lo a cada dia mais próximo do seu. Justamente por isso redobre os seus cuidados com o que é oferecido, a quantidade de comida em cada refeição e os horários em que estas são servidas.

Isso porque entre o primeiro e o terceiro ano de vida as crianças passam a reagir aos estímulos visuais e olfativos no ambiente no qual estão inseridas e começam a desenvolver o próprio paladar — o que aumenta a curiosidade delas por novos sabores e experimentações.

Por conta desse processo, passam a criar as suas primeiras preferências e, principalmente, suas rejeições (possivelmente acompanhadas de cara feias) a certos ingredientes.

Logo, se você não introduz alimentos saudáveis na rotina do seu filho e ainda permite que ele tenha contato com produtos pobres em nutrientes, como doces, refrigerantes e frituras, ele desenvolverá hábitos alimentares deficientes, ou seja, que não vão proporcionar as vitaminas, minerais e proteínas necessárias para um crescimento muscular, ósseo e cerebral sadio.

Além disso, o consumo de alimentos inadequados e em excesso nessa etapa da infância pode levar a uma sobrecarga de açúcar e gordura no organismo do pequeno que podem desencadear uma série de doenças cardiovasculares e respiratórias.

Sem mencionar, é claro, o excesso de peso, um problema sério e que atinge uma a cada três crianças brasileiras, segundo levantamento do Ministério da Saúde divulgado pela ABESO, a Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica.

Por isso, ao ampliar a oferta de comida, procure incrementar o cardápio do menor com alimentos que não apenas variam em textura, sabor e cores e são fáceis de ingerir — permitindo inúmeras receitas de sopas e papinhas para bebês —, mas que contribuam efetivamente para o desenvolvimento dele. Alguns exemplos são:

  • peixes de águas profundas, como arenque, cavala, atum e salmão, que são ricos em ferro, vitamina B12 e ácidos graxos (como o ômega 3) — o que é excelente para a fortificação dos ossos e também para evitar o aparecimento de anemia;
  • proteínas animais, como carne bovina e frango, que são fundamentais para o correto desenvolvimento muscular e aumento da imunidade além de serem ricos em zinco, ferro, ácido fólico e vitaminas A, B12, C, D e E; e
  • leguminosas, como o feijão, a soja e a lentilha, que são fontes de proteína vegetal, fibras, potássio e fósforo que contribuem para um bom funcionamento do trato intestinal das crianças — prevenindo distúrbios e constipações — e da circulação sanguínea;

11 receitas de sopas e papinhas

Até aqui explicamos a importância das sopas e papinhas como refeições na primeira infância e, além disso, quais os alimentos — como tubérculos, frutas, verduras e proteínas — podem (e devem) ser usados para fornecer os nutrientes necessários ao crescimento e desenvolvimento do seu filho.

Agora, você aprenderá 8 receitas de papinha, tanto doce quanto salgada, e 3 receitas de sopas. Portanto, pegue papel e caneta e anote-as para diversificar com qualidade e sabor a alimentação do pequeno!

Papinhas doces

1. Papinha de banana

Ingredientes:

  • 01 banana

Modo de preparo:

Descasque a banana e reserve-a. Feito isso, disponha-a no recipiente no qual a papinha será servida e, com o auxílio de um garfo, amasse-a bem. A consistência deve ficar o mais pastosa possível, como se fosse um purê. Não use água no preparo!

2. Papinha de mamão e laranja

Ingredientes:

  • 01 laranja
  • 1/4 de mamão

Modo de preparo:

Descasque a laranja, separe os gomos, remova as sementes e reserve. Se necessário, reitre o excesso de suco da fruta. Pegue o 1/4 de mamão, raspe a casca, remova todas as sementes e corte-o em porções menores.

Em seguida, inicie o processo de amassar as frutas até que se tornem uma pasta homogênea. Ao final do processo é só servir ao seu filho.

3. Papinha de acerola e manga

Ingredientes:

  • 100g de acerola
  • 1/3 de manga

Modo de preparo:

O primeiro passo é separar as 100g de acerola em um recipiente e despolpá-las uma a uma. A partir disso, é importante que você remova as sementes com suas próprias mãos — que devem ser sempre devidamente higienizadas —, já que é um processo simples e bastante rápido.

Quando concluí-lo, reserve. Em seguida, descasque a manga e fatie ela sem raspar ou quebrar as fibras da fruta. Junto tudo e amasse até estar pronto para servir.

4. Papinha mista de frutas

Ingredientes:

  • 1/2 pera
  • 50g de ameixa seca
  • 01 kiwi
  • 1/2 maçã

Modo de preparo:

Remova as sementes e a casaca da pera, do kiwi e da maçã, cortando-as em porções menores. Depois, em um recipiente à parte, amasse as 50g de ameixa seca. Repita o processo com as demais frutas da pera e misture tudo até formar uma massa homogênea.

Papinhas salgadas​

1. Papinha de batata com mandioca

Ingredientes:

  • 01 batata
  • 1/4 de mandioca
  • 200ml de água filtrada

Modo de preparo:

Reserve uma panela com a água em fogo brando e acrescente os tubérculos dentro. Espere que ambos amoleçam com a fervura. Para checar o andamento desse processo espete um garfo ou faca em ambos: quando não houver dificuldade em penetrar o interior deles é sinal de que estão no ponto certo.

Feito isso, descasque-os e corte em fatias de 2 a 5 centímetros para, então, amassá-los e misturá-los até que formem uma papinha suculenta e de textura macia e agradável ao paladar da criança.

2. Papinha de legumes

Ingredientes:

  • 1/2 nabo
  • 1/2 beterraba
  • 01 quiabo
  • 1 jiló
  • 200ml de água filtrada

Modo de preparo:

Coloque a água filtrada em uma panela no fogo brando e espere aquecer. Depois, acrescente os legumes e deixe-os cozinhar para que amoleçam. Ao chegar no ponto desejado, retire-os e coloque-os em um recipiente. 

Corte cada fruta em pequenas porções e, em seguida, misture-as. Use um garfo para amassar de maneira uniforme essa combinação, sempre mexendo após o purê se formar. Caso sinta necessidade, faça uso de um utensílio de cozinha mais apropriado, como um amassador.

3. Papinha de carne moída com cebola e alho

Ingredientes:

  • 50g de carne moída
  • 200ml de água filtrada
  • 1/2 cebola 
  • 1 dente de alho

Modo de preparo:

Utilize um um triturador para triturar a cebola e o alho e depois reserve a mistura de ambos. Com uma panela em fogo baixo, acrescente os 200ml de água e a carne moída e deixe de cozer por aproximadamente 15 minutos.

Quando a carne estiver no ponto adequado, retire-a e coloque-a junto com a cebola e o alho em um recipiente no qual você possa usar um amassador, pois por mais que esse corte já seja de fácil deglutição é indicado reduzir o máximo possível os pedaços para que seu filho não se engasgue caso ainda não possua dentes. Assim que a massa final estiver uniforme é hora de servir.

4. Papinha de caldo de feijão com chuchu

Ingredientes:

  • 50g de feijão
  • 300ml de água filtrada
  • 1/4 de chuchu

Modo de preparo:

Descasque o chuchu, corte-o em fatias e coloque-o em uma panela pequena com 100ml de água filtrada para que o mesmo amoleça em fogo brando. Após isso, em outra panela repita o procedimento colocando o feijão para cozer com os demais 200ml. 

É importante não temperar, especialmente com os temperos que você está acostumado, pois o bebê deve aprender a reconhecer (e gostar) do sabor natural dos alimentos.

Quando ele ficar pronto, despeje parte da água restante e utilize uma pequena quantidade da que sobrar com o legume para amassá-lo e torná-lo pastoso. Por fim, una ao preparo o chuchu amolecido e repita o processo de amassar até que a papinha fique pronta.

Sopas

1. Sopa de carne moída com macarrão

Ingredientes:

  • 50g de carne moída
  • 50g de macarrão
  • 02 colheres de cenoura ralada
  • 02 colheres de tomate picado
  • 200ml de água filtrada

Modo de preparo:

Cozinhe o macarrão antecipadamente sem o uso de temperos ou sal e reserve. Pegue uma panela, acrescente a carne moída, a cenoura ralada e a água e deixe cozer em fogo baixo. Em seguida, amasse o tomate e coloque-o também.

Quando a sopa começar a ficar mais espessa é o momento de misturar o macarrão aos demais ingredientes até que formem uma pasta mais leve e líquida que uma papinha. A partir disso é só servir.

2. Sopa de caldo de peixe

Ingredientes:

  • 01 ovo
  • 50g de peixe (sem espinhas) 
  • 300ml de água filtrada
  • 01 fatia de tomate
  • 02 dentes de alho
  • 01 colher (de chá) de azeite

Modo de preparo:

Em um panela pequena cozinhe o ovo com 100ml de água à parte e quando estiver pronto descasque-o e depois reserve-o. Já em outra maior acrescente os demais 200ml e deixe aquecer em fogo brando.

Quando der os primeiros sinas de fervura inclua em seu interior o peixe, o tomate, os dentes de alho devidamente amassados e a colher de azeite. Deixe cozer entre 15 a 20 minutos até que se forme um caldo com todos os ingredientes.

Nesse momento, inclua o ovo. Feito esse processo passe a sopa para um recipiente e certifique-se de que não há pedaços muito grandes de peixe ou ovo que a criança possa ter dificuldades em engolir. Em caso positivo, amasse-os parcialmente com um garfo e então sirva-a.

3. Sopa de frango com acompanhamentos

Ingredientes:

  • 50g de frango desfiado
  • 01 colher (de chá) de azeite
  • 1/2 batata
  • 02 colheres de arroz
  • 200ml de água filtrada

Modo de preparo:

Em uma panela acrescente o arroz, a batata e frango desfiado junto dos 200ml de água e misture bem. Deixe cozer em fogo brando por aproximadamente 20 minutos até que todos os ingredientes estejam macios e o líquido formado tenha uma consistência levemente pastosa.

Se achar necessário, amasse parte dos ingredientes, como o macarrão e a batata, para facilitar ainda mais a digestão nas primeiras vezes em que oferecer a sopa ao bebê. Antes de servir, acrescente a colher (de chá) de azeite para complementar o prato.

Como você leu, a transição entre a amamentação e o início da ingestão de alimentos sólidos é uma fase de extrema importância não apenas porque define os hábitos alimentares do seu filho na infância, mas porquê o impacto desse processo e, principalmente, dos alimentos que são consumidos e administrados nas refeições dele vão ser essenciais para um crescimento e desenvolvimento sadios.  

Por esse motivo, redobre a atenção com os ingredientes escolhidos para as sopas e papinhas para bebês e aproveite as nossas dicas de receitas para incrementar ainda mais a alimentação do pequeno!

E se você gostou de ler mais a respeito desse assunto, já sabe: assine agora a nossa newsletter para ficar por dentro de outros temas e sugestões para facilitar a rotina de cuidados com seu filho!

Comments (2)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This