como-manter-o-relacionamento-vivo-apos-o-nascimento-dos-filhos.jpeg

Como manter o relacionamento vivo após o nascimento dos filhos

Construir uma família é garantia de muitos momentos de alegria: o cheirinho dos bebês, descobertas diárias, gestos de carinho, brincadeiras. Mas não podemos negar que a chegada das crianças vira a rotina pelo avesso. Com isso, manter o relacionamento após o nascimento dos filhos pode ser um tremendo desafio. 

É realmente difícil para o casal continuar dedicando o mesmo tempo e atenção que tinham um com o outro antes da chegada dos filhos, mas manter o relacionamento vivo é fundamental para a felicidade dos dois. 

Você acredita que essa é uma tarefa impossível? Nós separamos 8 dicas que vão permitir que vocês se mantenham próximos e unidos, fazendo com que seu casamento continue sendo uma fonte de satisfação e alegria. Vamos começar? 

1. Relembrem que existem outros papéis

Ter um bebê, um ser tão frágil e dependente, faz com que os pais voltem todas as suas atenções para ele por um período, e isso é normal. Junto com o desejo de ser uma boa mãe ou um bom pai, surgem diversas inseguranças. No entanto, não é saudável que esse tempo de dedicação quase exclusiva seja muito longo. 

Por isso, após a chegada do recém-nascido e da adaptação inicial, é importante lembrar que além da função de pai ou mãe, todos temos outros papéis na vida: marido ou esposa, profissional, mulher, homem, amigos…

Por mais que os cuidados com o bebê continuem sendo prioridade, garantir um equilíbrio entre esses papéis é fundamental para a união do casal e até mesmo para a saúde e bem-estar individual. Não se culpe por dar atenção também a outros familiares, ao seus amigos, ao trabalho e, principalmente, ao cônjuge.

2. Dividam as tarefas

Aquele serzinho lindo é fruto do amor de vocês dois. Portanto, nada de colocá-lo sob os cuidados exclusivos da mãe. Mesmo que exista uma fase de apego, em que o recém-nascido só quer o colo dela, o casal precisa cooperar no que diz respeito às atividades relacionadas ao bebê e ao lar.

Também e importante deixar alguma atividade sempre sob a responsabilidade do pai. Pode ser o banho da noite, ou dar o café da manhã, ou levar à escola. Além da divisão de tarefas não sobrecarregar ninguém, esses momentos serão fundamentais para a formação do vínculo entre o pai e os filhos. 

3. Aliviem as cobranças

Depois da chegada das crianças, algumas coisas mudam. É muito difícil manter a casa tão arrumada, e pode ser que as roupas se acumulem antes de dar tempo de passá-las. 

Também é provável que o orçamento fique mais apertado, e que nem sempre seja possível fazer todos os programas com os quais estavam acostumados antes do nascimento dos filhos. 

Essas mudanças requerem adaptação, e não cobranças. Em vez de reclamarem do estado da casa ou de ajustes no orçamento, entendam que o outro é humano, tem suas limitações — afinal, você não se casou com o super-homem e nem com a mulher-maravilha — e pensem em como podem se ajudar mutuamente nessas situações.

4. Entendam que o outro precisa de um tempo sozinho

Pode parecer uma dica egoísta, mas não é. Todos precisamos de um período para fazermos o que gostamos, sem interferências. Esse hábito renova nossas energias e nos ajuda a voltarmos mais felizes e dispostos para o convívio familiar.

Aquele futebol semanal com os amigos pode fazer do seu homem um marido e pai ainda mais carinhoso. Cuidar das crianças enquanto sua esposa tira uma noite para conversar com as amigas ou vai cuidar do cabelo e unhas vai ajudá-la a sentir-se mulher, o que fará muito bem para o relacionamento. 

Portanto, entendam as necessidades um do outro, permitam esse alívio das responsabilidades domésticas e concedam esse breve espaço. Cônjuges felizes estão mais aptos a construírem relacionamentos de sucesso. 

5. Aproveitem a ajuda da família 

Por mais que os pais devam ser cautelosos com as pessoas que cuidam da criança, a vovó ou a titia de confiança podem ajudar muito a garantir um tempo exclusivo para o casal. 

Geralmente, as vovós ficam ansiosas para cuidar dos netinhos, mas muitos casais simplesmente criam uma bolha em torno da criança, não permitindo que elas fiquem um tempinho sob os cuidados dessas pessoas de confiança. Com essa atitude, eles se sobrecarregam e deixam de fazer programas benéficos para o relacionamento dos dois.

Acredite: deixar seu filhote com a vovó ou titias em que podem confiar é benéfico para os cuidadores, para vocês e mesmo para a criança. Algumas das mais felizes lembranças de infância podem vir desses momentos.

6. Tirem tempo para namorar

Sim, namorar! Lembrem-se de que vocês não são apenas pai e mãe, são também homem e mulher, e possuem um relacionamento.

Portanto, coloquem o bebê para dormir ou pratiquem a dica anterior e resgatem algumas atividades que gostavam de fazer juntos: assistir a um filme, sair para jantar fora ou tomar um tempo para conversar a sós, sem a interferência das crianças.

E não se esqueçam que esse namoro também precisa ter um tempo para o relacionamento sexual. Os hormônios podem estar um pouco bagunçados, o cansaço pode reduzir um pouco o desejo, mas esse é um aspecto do casamento que não deve ser deixado de lado. 

E aí vai uma dica especial para o marido: é muito comum que a mulher esteja insegura porque o corpo dela mudou um pouco durante e após a gravidez. Seu carinho e sua afirmação de que a ama do jeitinho que é podem fazê-la se sentir novamente à vontade para esses momentos especiais. 

7. Surpreendam um ao outro

Preparar o prato favorito do outro, usar aquela roupa que deixa o marido admirado, passar aquele perfume especial, um bilhetinho ou uma mensagem mais ousada ao longo do dia são pequenos gestos que fazem a diferença.

Essas atitudes dizem: “eu pensei em você”, “imaginei seu sorriso ao receber esse agrado”, “ainda me lembro do que você gosta” e “você é importante para mim”. Por isso, quem resiste a eles? 

8. Perdoem-se

É inevitável: vocês dois vão errar enquanto aprendem a ser pai e mãe. Vão errar um com o outro, vão errar com os filhos… É importante tentar fazer seu melhor sempre, mas sabendo que esses equívocos acontecem com todo mundo. 

Porém, mais importante do que os erros é decidir o que fazer com eles: se vão utilizá-los como fonte de aprendizado e de união ou se permitirão que as mágoas os afastem, criando um abismo na relação. 

O caminho do perdão e do aprendizado produz maturidade e é libertador, enquanto guardar rancor envenena o relacionamento do casal e todo o convívio familiar. Portanto, perdoar é a melhor maneira de garantir a própria felicidade e a do outro. 

E então, o que achou das nossas dicas para manter o relacionamento após o nascimento dos filhos? Pois você pode ter acesso a muitas outras dicas e sugestões, basta curtir a nossa página no Facebook e ficar de olho nas novidades. Nos encontramos por lá! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This